Dino

Com produção do inox em retomada, cuidados são importantes para conservação

Guarulhos, SP 11/6/2021 – Embora a produção nacional tenha sido menor, a mundial atingiu 50,9 milhões, melhor resultado desde 2010,

O aço inox é um dos materiais mais utilizados no mundo por conta de sua diversidade de resistências. No entanto, mesmo um equipamento durável deve contar com cuidados para que seu tempo de vida útil seja longo.

O aço inoxidável tornou-se uma das matérias-primas mais utilizadas no mercado. A princípio seu uso era exclusivo para utensílios de cozinha, quando da sua descoberta; mas rapidamente popularizou-se para os segmentos hospitalares e de construção civil devido as suas características e resistências. Agora, o aço inox está presente na grande maioria das casas, seja por sua durabilidade, seja por sua elegância.

Somente no Brasil, segundo análises disponibilizadas pela Associação Brasileira de Aço Inoxidável (Abinox), a produção no país desse metal foi de 276 mil toneladas. Apesar de ser um número considerável, o resultado foi o menor em 10 anos, sentindo os reflexos da pandemia de Covid-19.

No entanto, ainda é possível perceber a importância do metal para o mercado. Embora a produção nacional tenha sido menor, a mundial atingiu 50,9 milhões, melhor resultado desde 2010, com exceção de 2019 quando os números alcançaram 52,2 milhões.

Com tantos produtos no mercado, é importante entender a necessidade de se preservar esse metal. A Projinox, fabricante de materiais especiais de inox, explica alguns meios para manter o produto sempre como novo, preservando características importantes, como resistência à oxidação, baixa porosidade, entre outras propriedades intrínsecas a essa matéria-prima.

Preservar o inox é o melhor caminho

O segredo do inox está na sua composição, sobretudo na presença do cromo, responsável por criar uma fina proteção, chamada de camada passiva, que protege o aço do contato com o oxigênio, aumentando a sua durabilidade. Essa camada revitaliza-se mesmo quando danificada, bastando o próprio contato com o oxigênio para que isso ocorra, ou seja, além de ter uma excelente ação protetiva, ela é autorregenerativa.

Para aumentar a durabilidade do inox existe uma fórmula mágica: a limpeza. Sabão neutro e água é a composição para deixar a peça sempre como nova, e livre de possíveis agressões à sua camada passiva. É o principal ponto para aumentar o tempo de vida útil do equipamento.

“Um exemplo muito comum de contaminação do aço inox é quando há a presença de outro tipo de aço contaminante, como o carbono, e partículas desse material entram em contato com o inox. Quando não há limpeza, os fragmentos podem iniciar o processo de oxidação”, pontua Douglas Brito, diretor comercial da Projinox.

Por exemplo, agentes mais agressivos ao inox, como o cloro, em caso de contato, devem ser rapidamente removidos do produto, enxaguando-o com água em abundância. Vale ressaltar que esponjas de aço metálico jamais devem ser usadas no inox, pois danificam a camada passiva.

Estética, maleabilidade e sua higiene são outros pontos importantes que fazem do aço peça fundamental na indústria de todo o mundo. Mas, mesmo com sua alta durabilidade, o inox pode não resistir ao mau uso. Por isso, a limpeza deve ser rigorosa para conservação da peça em inox.

É importante lembrar: é sempre bom contar com orientação profissional para evitar riscos de se escolher o tipo de inox errado para a aplicação de um equipamento, e ter problemas futuros com oxidação. “Áreas de piscinas, fornos, frigoríficos, ambientes externos ou internos, regiões litorâneas, indústria alimentícia, laboratorial ou hospitalar; todas têm suas particularidades que devem ser levadas em consideração no momento da confecção do material”, explica Brito.

Mas, afinal, o inox enferruja?

A resposta ideal é: não, mas é possível que isso aconteça caso ocorra o mau uso. O que pode acontecer, por exemplo, é que um elemento externo enferrujado entre em contato com a camada passiva do inox, contaminando-a. “Se isso ocorrer, é possível a sua recuperação com produtos específicos presentes no mercado, no entanto a ação precisa ser rápida e com orientação profissional”, conta Brito, que completa: “No entanto, a depender do tipo escolhido de aço inox e a sua aplicação, a oxidação pode acontecer. Para isso é preciso entender os tipos de cada aço inox, e um profissional da área poderá orientar a escolha correta para cada necessidade”.

Website: https://www.projinoxindustria.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *