Política

Eleição 2020

Mandata Ativista dá à luz 3 candidatos a vereador e inspira centenas de candidaturas coletivas Brasil afora

Paula Aparecida, Jesus Dos Santos, Mônica Seixas, Erika Hilton, Fernando Ferrari, Chirley Pankará, Raquel Marques e Claudia Visoni. Foto de Pedro Maia Veiga

A Mandata Ativista está se multiplicando. Neste momento de crise, em que enfrentamos ataques à democracia, pandemia e tantas outras necessidades da população mais carente e marginalizada, ninguém pode se dar ao luxo de ficar fora da batalha.

Frente a este quadro, é urgente mais ativistas nos espaços públicos. Por isso mesmo três de nós estão se afastando do gabinete da Assembleia Legislativa neste momento para encarar a dura disputa por uma cadeira na Câmara de Vereadores de São Paulo: Erika Hilton (Psol), Jesus dos Santos (PDT) e Raquel Marques (Rede).

Desta forma, a Mandata amplia o alcance das pautas de cada um sem enfraquecer, contudo, nosso gabinete. Lá permanecem defendendo as pautas com as quais fomos eleitas e eleitos cinco de nós: Chirley Pankará, Claudia Visoni, Fernando Ferrari, Mônica Seixas e Paula Aparecida.

O trabalho sempre foi coletivo, e isso nunca vai deixar de ser. Quem se afasta agora, segue conosco. Em caso de não-eleição, retorna.

E nesse momento de mudanças e de aproximação do período eleitoral, é bom também lembrarmos, rapidamente, a nossa trajetória: 

Em 2016, o movimento Bancada Ativista conseguiu sua primeira vitória eleitoral, apoiando oito candidaturas de diferentes partidos e elegendo vereadora por São Paulo a hoje deputada federal Sâmia Bomfim. Em 2018, a Mandata Ativista, candidatura coletiva gestada no mesmo movimento, fez história ao se eleger com 149 mil votos. Recebemos uma das 10 maiores votações para a Alesp naquele ano.

Na Assembleia, pautamos assuntos até então marginais no legislativo estadual. E, com nossa atuação combativa e plural, provamos na prática que uma outra forma de fazer política, radicalmente coletiva, é possível.

Esta vitória permitiu que um coletivo com negros, mulheres, uma trans, uma indígena, moradores da periferia e ativistas do meio ambiente, dos direitos humanos e dos direitos animais ocupasse um espaço político que raramente conta com esses perfis.


A inciativa vitoriosa gerou frutos. Primeiro, as três candidaturas vindas da nossa Mandata, citadas acima. Já o movimento Bancada Ativista, por sua vez, vai apoiar outras candidaturas imbuídas do mesmo espírito, seguindo sua missão de eleger ativistas para o poder legislativo.

Apesar dos nomes parecidos, da ligação umbilical e de partilharmos os mesmos ideais, é bom esclarecer que Mandata Ativista e movimento Bancada Ativista são iniciativas independentes.

Mais: o êxito da Mandata inspirou centenas de outras candidaturas coletivas Brasil afora. Somente no Psol serão mais de 70 delas espalhadas por todo País. E nós, codeputadas e codeputados, estamos apoiando e conversando com muitas delas, compartilhando nossa experiência e fortalecendo a atuação ativista nas casas legislativas.

Por fim, reafirmamos: Estamos nos multiplicando. E vamos ganhar mais potência, ocupando novos espaços e fortalecendo ainda mais a participação popular na política.

Fonte: Mandata/Daniela Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *