Comportamento Geral Saúde

Glaucoma

#deolhonoglaucoma

Não perca seu mundo de vista

Tela do Webinar

Hoje, (21/7), a SBG (Sociedade Brasileira de Glaucoma) e a UPJohn Pfizer apresentaram à imprensa o resultado da pesquisa IBOPE sobre o nível de informação dos brasileiros sobre o glaucoma.

Essa pesquisa faz parte de uma ação de conscientização do mês de julho, que a OMS (Organização Mundial de Saúde) dedica à prevenção de doenças oculares, sendo o dia 10 chamado de Dia da Saúde Ocular.

Os dados da pesquisa foram apresentados pelos médicos Luiz Fernando Vieira (gerente da UPJohn Pzifer) e Augusto Paranhos Junior (presidente da SBG), que alertaram, especialmente, sobre a pouca rotina de consultas oftalmológicas dos brasileiros e sobre a falta de informação de que o glaucoma causa cegueira.

Conforme dados, no mundo existem cerca de 80 milhões de pessoas com glaucoma e no Brasil, aproximadamente, 7, 2 milhões.

A doença pode ser detectada em exames oftalmológicos que medem a pressão intraocular, o exame de fundo de olho, campo visual e, se observado o glaucoma, existe exame mais específico que vai identificar o tipo.

Os tratamentos são fundamentais para se evitar a cegueira, que é o resultado natural de um glaucoma não tratado. Com medicações, cirurgias e outras técnicas, dependendo do estágio da doença, o paciente consegue parar o avanço degenerativo da visão.  Não existe cura para o glaucoma, mas existe o controle.

A pesquisa IBOPE apresentou um dado muito alarmante de que 47% da população não sabe que o glaucoma pode levar à cegueira. Esta informação, separada por classe social, temos o percentual que ignora o risco da cegueira, sendo: 43% da classe C; 33% da classe B e 18% da classe O glaucoma pode ser hereditário e tem mais ocorrência entre a população afrodescendente. Esses dois itens são ignorados por 50%, no quesito hereditariedade e, 54% pelo fator da afro descendência.

É importante acrescentar que a doença tem diferentes estágios e os avanços da medicina já permitem várias alternativas de tratamento para o seu controle.

A doença é lenta, aparentemente sem sintoma. A pessoa pode perder a visão de forma muito sutil e não perceber que seu campo de visão está menor. O glaucoma, de uma forma simples, é uma lesão no nervo óptico que pode ser aberta, fechada ou congênita.

Outra desinformação sobre a doença envolve a idade, os mais jovens, de 18 a 24 anos, 53% deles, não sabem o que é o glaucoma.

Para preservar sua saúde ocular procure um oftalmologista com regularidade, mesmo que não use óculos. Os exames para detectar o glaucoma são protocolos das consultas médicas do sistema privado ou público (SUS).

Redação ETC/Maristela Ajalla

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *