Dino

Sites desenvolvidos com foco estratégico impactam no ranqueamento em buscadores

Americana – SP 1/7/2021 – Para o site estar entre as primeiras posições dos buscadores é preciso programação adequada, conteúdo e uma boa experiência de navegabilidade.

Para o site estar entre as primeiras posições dos buscadores é preciso programação adequada, conteúdo e uma boa experiência de navegabilidade.

Ter o site encontrado por motores de busca como Google reflete diretamente nos resultados comerciais das empresas, por isso sites institucionais de fabricantes, distribuidores, prestadores de serviços para a indústria e outras empresas B2B precisam ser projetados com foco estratégico voltado ao ranqueamento no Google. Já não basta mais estar na rede, é preciso se destacar nela. Afinal, 90% dos usuários do buscador acessam apenas os links das primeiras posições, mostra uma pesquisa da Search Engine Land de 2018.

O mercado varejista, o chamado B2C, também vive um novo tempo. De forma acelerada, o comércio eletrônico evoluiu no último ano e fez com que as negociações on-line assumissem uma fatia cada vez mais significativa. Segundo a Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP), entre janeiro e junho de 2020 o e-commerce passou a representar 3,7% do total do varejo.

Somente ter um e-commerce (loja virtual) não é o suficiente, ele precisa de tráfego, ou seja, muitos acessos para gerar resultados financeiros e para isso a loja virtual precisa também de bom resultado nas pesquisas do Google.

Conhecendo o mercado e com a experiência de quem lida no dia a dia com essa situação, o publicitário Marcelo Santos, diretor da Idônea Comunicação, dá dicas para ajudar quem pretende partir do zero e levar ao ar uma página na rede mundial. O conteúdo é resultado de quinze anos de experiência na gestão da criação de websites. As orientações vão desde a definição do objetivo até a escolha de onde hospedar a página. E passam necessariamente pela produção de um conteúdo de qualidade.

Objetivo e conteúdo de qualidade

“Definir um objetivo durante o planejamento ajuda a executar um projeto que atenda às necessidades da empresa e aumente as chances de o website ser eficiente comercialmente”, afirma o publicitário, que destaca em seguida que ter conteúdo de qualidade é algo essencial. “É preciso deixar claro ao seu público-alvo o que sua empresa faz e porque confiar nela”.

Entre as dicas, a otimização para motores de busca ocupa um dos primeiros lugares. Para isso, Marcelo indica que o novo website utilize as técnicas de SEO (Search Engine Optimization,  otimização para motores de busca em português) para buscar um bom posicionamento orgânico em motores como Google e Bing. “Isso gera tráfego, que pode se tornar leads qualificados”, explica.

 Experiência da navegação conta muito

Marcelo diz ainda que é necessária uma atenção especial à experiência de navegabilidade de quem visita o website. Cita a importância do layout responsivo, ou seja, que se adapte a todos os dispositivos, que apresente uma interface chamada de amigável e com carregamento rápido. “A velocidade é muito importante principalmente para os usuários que procuram produtos em e-commerce e acessam via smartphone”, destaca.

Entre as dicas, o publicitário sugere também que informações como contato e a localização física da empresa estejam no website. Segundo Marcelo, mais do que uma informação, esses detalhes transferem confiabilidade aos usuários. Diz ainda que investir em evidências físicas, como imagens de produtos ou serviços, detalhes sobre a equipe, imagens da estrutura e depoimentos de clientes reforçam essa confiança. No caso das imagens, frisa a importância do respeito aos direitos autorais e da qualidade delas.

Usuários exigem ambientes seguros

Por fim, Marcelo trata da segurança, algo especialmente vital para transações financeiras. “Só confie em uma plataforma segura de hospedagem”, diz. Segundo ele, esta é a maneira de garantir um bom desempenho no carregamento e baixo risco de sair do ar. “Ter o certificado SSL torna o website mais confiável, dificultando a ação de hackers”, acrescenta.

Há ainda mais uma informação que não consta nas dicas, mas que merece nota. Uma pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria) mostrou um declínio de 47% para 39% no número de pessoas resistentes a efetuar compras pela internet desde o início da pandemia de Covid-19, em abril de 2020, até o mês de abril de 2021. “De um modo geral, o comércio on-line conseguiu se organizar, atender a demanda e mostrar que é seguro”, avalia o comentarista de tecnologia da informação da rádio CBN, Thássius Veloso, em podcast do dia 3 de maio de 2021.

Mais informações em: https://idonea.com.br/o-que-um-site-precisa-ter-para-o-google-gostar-dele.html

 

 

Website: http://www.idonea.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *